BRINCS EMPRESTA R$ 2 BILHÕES,PARA TRATAR O LIXO E GRUPO INER É AUTORIDADE MÁXIMA EM RESÍDUOS SÓLIDOS

Atualizado: 30 de Ago de 2019

UMA DÚVIDA QUE PAIRA NO AR "PREVENIR É MELHOR DO QUE REMEDIAR" EIS A QUESTÃO!


Uma polêmica tem sido gerada em torno do que fazer com o lixo brasileiro. É interessante analisarmos que a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), foi instituída em 2010 com a lei 12.305 e pelo que vemos nada foi feito e somente agora os governantes estão preocupados com o lixo e a questão ambiental que assola e aterroriza o país.

A lei foi instituída em 2010 e que nos parece “bastante atual, pois contêm instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos”.

Para financiar ações de tratamento de lixo nos municípios e principais centros urbanos do País, o governo fechou acordo com o Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), instituição controlada pelos países do Brics, “grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, para receber US$ 500 milhões, o equivalente a cerca de R$ 2 bilhões”.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, confirmou as informações à reportagem. “O acordo está bastante avançado. Acho que a gente pode dizer que está praticamente fechado”, disse. O Estado apurou que falta apenas formalizar a parceria, que será no formato de empréstimo a juros “praticamente zero”, nas palavras do ministro.

De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), “a produção de lixo aumentou 28% de 2010 a 2017 e a taxa de reciclagem no período ficou praticamente estagnada, saindo de 2% a 3% do total gerado. Cerca de sete milhões de toneladas de lixo por ano continuam fora do sistema de coleta regular e não vão sequer para os lixões.


A pesquisa mostrou que ainda existem cerca de três mil lixões a céu aberto e que segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, (PNRS), a lei 12.305, promulgada em 02 de agosto de 2010 e que previam que todos os lixões deveriam ser extintos no ano de 2014, e por incrível que pareça passaram-se nove anos e nenhuma política pública plausível foi criada para combater essa situação.


“A produção de lixo aumentou 28% de 2010 a 2017, segundo a associação. A taxa de reciclagem no período ficou praticamente estagnada, saindo de 2% a 3% do total gerado. Cerca de sete milhões de toneladas de lixo por ano continuam fora do sistema de coleta regular e não vão sequer para os lixões, segundo a Abrelpe”.



GRUPO INER E CONFEDERAÇÃO ELO SOCIAL BRASIL, AUTORIDADE MÁXIMA E IMPLACÁVEL NO COMBATE AOS RESÍDUOS SÓLIDOS COM O "PROGRAMA LIXO 0 SOCIAL 10"


O Complexo Empresarial Iner e em parceria com a Confederação Elo Social Brasil, vem crescendo e inovando a cada ano no mercado brasileiro e se tornando autoridade máxima quando o assunto é resíduos sólidos, pois ao contrário do governo, pesquisa há anos a questão ambiental, assim como o desenvolvimento em equipamentos e em tecnologia de ponta para a destinação adequada para os resíduos sólidos, pois segundo especialistas do grupo promete e garante acabar de vez com todos os lixões e falsos aterros sanitários, ou seja, o fim do lixo em todo o território brasileiro.


Constituído com o objetivo de contribuir para a implementação da Lei 12.305/10, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), por meio das instituições, empresas, cidadãos realmente comprometidos com uma política social justa, responsável e sustentável.


INER:

Empresa de capital privado, criado por uma instituição social, que uniu aos seus objetivos as maiores empresas em seus segmentos para implantação do projeto “Lixo Zero Social 10”.


GESTÃO:

Fará a gestão completa desde o início até a entrega das chaves aos empresários e investidores, após isso estará ajudando na gestão e também na manutenção das usinas em todo o Território Nacional.


CENTRO DE OPERAÇÕES

COI: Sistema de Gestão para controle de todas as operações do Grupo INER, com facilidades e disponibilidade de acompanhamento: via tablete, celulares, para o gerenciamento das obras e projetos complementares.



DIFERENCIAIS DOS CENTROS DE TRIAGEM E TRANSBORDO E DAS USINAS


  • Política reversa e reaproveitamento de 100% do lixo;

  • O orgânico também será transformado em riqueza;

  • Maiores oportunidades e lucratividade para o empresário; Política reversa e reaproveitamento de 100% do lixo;

  • Desenvolvimento da região com emprego de mão de obra e geração de impostos; Meta de preço - próximo do custo;

  • Facilidade de expansão para 200 toneladas dia (CTT Linha Dupla ou dobrando o turno);

  • Dar emprego e direitos aos catadores que vivem do lixo;

  • A cada CTT Centro de Triagem e Transbordo, será doado um Prédio Social;

  • A um prédio Seccional a cada 2.000.000 habitantes para administrar os Prédios Sociais;

  • Acabar com todos os lixões ilegais e aterros sanitários, atendendo a lei 12.305/2010. Modelo totalmente adaptado para a realidade e ao mercado Nacional;

  • Única forma e opção viável que atende 100% do problema do lixo;

  • Investimentos feitos pela iniciativa privada;

  • Logística própria fácil e inteligente que viabiliza o retorno financeiro;

  • Gestão de manutenção em todo o território Nacional;

  • Ampliar o mercado com opções e oferta de produtos gerados pelo lixo;

  • Padrão de construção igual em todo o território Nacional;

  • Padrão de equipamentos, materiais, e fornecedores para todo o Brasil.

  • Centro de Triagem e Transbordo - CTT: Instalado em Terrenos de 10.000m2;

  • Contrapartida um prédio social em terreno de 400m2

  • Usinas de Incineração

  • Cremação: Cada uma instalada em terrenos de 1.500m2

  • Usinas de Compostagem: Instaladas em terrenos de 250.000m2 a 1.500.000m2

  • INVESTIMENTOS DIRETOS Diversos: • Terrenos; • Frete; • Terraplanagem;

  • Assessorias Comerciais, Jurídicas, e comissões; • Licenciamentos; laudos, perícias técnicas • Laboratório / Pesquisas; • Levantamento de lixões e aterros com uso de Drones.

RETORNO DO INVESTIMENTO

  • Dados estatísticos indicam que o Brasil enterra 120 bilhões de reais por ano, o custo do Grupo Iner, para todos os CTTs e Usinas chega a 48 bilhões de reais, portanto em quatro meses o Brasil terá o retorno do investimento;

  • Investimento valorizado já a partir da aquisição pelo investidor, abrindo um leque de oportunidades mesmo antes da entrega dos prédios em funcionamento;

  • Separação e destinação: Ferro, alumínio, aço, plásticos, vidros, papelão, orgânicos para compostagem, Produtos químicos, hospitalares, restos de animais, dentre outros;

  • Produtos ecológicos específicos para cada região do país: Briquete de biomassa, adubo, corretor de solo, matéria prima para outros produtos;

  • Contrato com o governo federal, estadual, prefeituras, empresas coletoras de lixo, hospitais, clínicas, pet shop, laboratórios, farmácias, indústrias, cooperativas, dentre outros segmentos de mercado;

  • Venda da Matéria prima para indústria, agropecuária, indústrias de transformação, siderurgias, fábricas de cimento, mercado e comércio dos produtos reciclados, etc...;

  • Valor dos CTTs/Usinas irão duplicar já durante a construção e quando da entrega ao empresário/investidor para a operacionalização deverá haver mais um aumento, tornando-se o melhor investimento feito neste setor;

  • Viabilidade Econômica:

  • Retorno do investimento em curto prazo de tempo.


RESULTADOS ESPERADOS

  • Diminuir os índices de criminalidade;

  • Melhorar a qualidade de vida da população;

  • Diminuir sensivelmente os problemas de saúde causados pela má gestão do lixo hoje existente, melhorando a qualidade do ar, da terra e da água;

  • Acabar com o trabalho escravo dos catadores dando dignidade na profissão, não tendo mais que puxar carrinhos para captação do lixo.

  • Fornecer cursos de aperfeiçoamento e profissional. Colocar os mesmos no mercado de trabalho através de CLT, Cooperativas e Empreendedorismo;

  • Mão de obra especializada com o reconhecimento perante a sociedade, dando oportunidades de crescimento pessoal e profissional, garantindo a todos os direitos trabalhistas;

  • Solucionar a destinação correta de 100% do lixo acabando com os lixões e aterros sanitários no Brasil;

  • Gerar lucros aos investidores e acionistas além de potencializar as oportunidades de negócios, fortalecendo também as empresas terceirizadas;

  • Melhorar a educação, cidadania e nível de consciência da população através das ações tomadas pelo trabalho desenvolvido pelos prédios sociais, trabalhando a família como objetivo principal.


Como vimos com o "Programa Lixo 0 Social 10", do Complexo Empresarial Iner, todos serão beneficiados, ou seja desenvolvimento econômico nessas regiões, as famílias cadastradas pelo Social do Cidadão receberão atendimento, lucro para as empresas, retorno garantido para os investidores e o meio ambiente, pois além de serem referência número um em resíduos sólidos são:


Ecologicamente Correto

Socialmente Integrado

Economicamente Viável


Fonte:

www.grupoiner.com.br

www.elosocial.org.br

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,governo-fecha-acordo-pro-agenda-ambiental,70002965262


Texto elaborado por Nagma Lira - Regional - ABCDM

Revisão Equipe Elo Social - SP

229 visualizações

Diretoria de Implantação de Projeto:

Rua Cecília Bonilha nº 145, São Paulo - Capital - (Sede Própria) Telefone: +55 (11) 3991-9919 Todos os Direitos Reservados​ © 2018

"Movimento Passando o Brasil a Limpo"